.

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Evento

  A seguir fotos do evento!





terça-feira, 13 de agosto de 2019

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Palestra

  No dia 02 de julho, na OAB Niterói, ocorreu a palestra "Impactos socais e jurídicos da Reforma Trabalhista". A seguir fotos do evento:








quarta-feira, 19 de junho de 2019

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Lançamento de livro

   O desembargador  Ivan Alemão lançou no dia 13 de junho, no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1), o livro “A Esquerda no Direito do Trabalho: discursos, fatos e desencontros”. A obra analisa a trajetória da via jurídica da esquerda brasileira e aborda os principais desencontros entre teoria e prática nesse grupo político.
   Abaixo fotos do evento:








domingo, 9 de junho de 2019

Entrevista Ivan Alemão



O desembargador e associado da AMATRA1 Ivan Alemão lançará, em 13 de junho, no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-1), o livro “A Esquerda no Direito do Trabalho: discursos, fatos e desencontros”. A obra analisa a trajetória da via jurídica da esquerda brasileira e aborda os principais desencontros entre teoria e prática nesse grupo político.
Em entrevista ao site da AMATRA1, Alemão revela os motivos por trás da escolha do tema do livro e conta um pouco sobre sua relação com a literatura de Direito. Doutor em Ciências Humanas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), ele é professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e já escreveu outros sete livros.


Confira abaixo a entrevista:

Como foi o projeto de concepção e pesquisa do livro? Quais foram suas principais influências?

Ivan Alemão: Eu já vinha amadurecendo este projeto há bastante tempo, mas só em termos de ideias. Meu entendimento era que alguém precisava escrever sobre o tema. No fim do ano passado,  aproveitei para poŕ a produção em prática. Busquei fazer um texto de leitura fácil, reflexivo, com críticas e autocríticas. Eu diria até que o livro traz um pouco de desabafo sobre a problemática da esquerda no momento atual, embora meu foco não seja a conjuntura política.

Por que abordar a via jurídica a partir da esquerda?

IA: Inicialmente, a via jurídica era criticada pelo marxismo. Todos os autores que propunham uma mudança revolucionária por esse meio recebiam críticas no sentido de que a verdadeira transformação deveria vir pela via econômica. Eu explico essa polêmica no livro. O que aconteceu aqui no Brasil foi que, com o processo da redemocratização, a esquerda passou para uma via jurídica, embora não tenha reajustado seu discurso. Ela manteve um discurso radical mas, na prática, foi adotando a via jurídica institucional. Houve, então, um certo desencontro entre os discursos e os projetos. É nesse ponto que o Direito e a Justiça do Trabalho ganham importância.

Como posicionamentos de direita e esquerda, historicamente distintos, podem coexistir no contexto do Direito do Trabalho?

IA: Esta distinção permanece, de fato, de forma acadêmica, mas na prática ela não é tão grande. Isso porque o próprio capitalismo mudou, e não é mais o mesmo da época de Marx. O capitalismo absorveu questões de demandas populares. Hoje, a própria propriedade privada, por exemplo, tem sua função social. Há também benefícios que são dados aos trabalhadores. Então, o quadro atual é muito diferente do quadro marxista. Temos um discurso político muito polarizado, mas as propostas dos polos não são tão distantes. Foi justamente essa linha que eu procurei abordar no livro: tratar de questões que a esquerda poderia aproveitar em suas proposições, mas às vezes não o faz justamente por sustentar um discurso radical, mesmo que a práxis não seja revolucionária.

O senhor tem sete livros publicados. Quando decidiu começar a escrever e como a literatura entrou em sua vida?

IA: Meu contato com a pesquisa é bastante antigo. Antes de estudar Direito, me formei em História. Como historiador, fiz uma pesquisa sobre a História da Previdência Social, e foi a partir dela que tive contato com a literatura de Direito. Confesso que tinha até um certo preconceito, mas comecei a ler autores e adquiri uma nova visão sobre o Direito. Passei não só a gostar, como me empolguei muito com a área. Nas minhas obras, sempre me preocupei em apresentar proposições para a melhoria do Direito do Trabalho e das relações trabalhistas. Gosto de escrever, analisar e fazer autocríticas das minhas próprias posições.

Como o senhor concilia as carreiras de magistrado, professor e escritor?

IA: Muita gente me pergunta isso. Há uma demanda grande tanto no Tribunal quanto na Universidade, mas faço meu trabalho com prazer. Além disso, tenho apoio da minha família, da minha esposa, e muita vontade de produzir, então dá certo.

Que mensagem gostaria de transmitir aos leitores?

IA: O livro não é pesado, cheio de citações acadêmicas ou notas de rodapé, como costumam ser as obras desse tipo. É um texto simples, então imagino que as pessoas conseguirão lê-lo em pouco tempo. Espero receber sugestões e críticas, porque o objetivo do trabalho é contribuir para o debate sobre esse tema.

terça-feira, 28 de maio de 2019

Lançamento de livro


Novo artigo

 
   Divulgamos o novo artigo de Ivan Alemão e Diogo Ferreira, intitulado:
  
A DIVISÃO HISTÓRICA ENTRE TRABALHADORES PÚBLICOS E PRIVADOS E A POSSIBILIDADE DE EQUILÍBRIO DOS REGIMES
  
 Acesse aqui o texto completo.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Defesa de tese de Doutorado

   No dia 19 de dezembro de 2018 ocorreu a defesa de tese de Doutorado (PPGSA-UFRJ) de Marcos Aurélio Santana Rodrigues intitulada: "Novo código não é presente: Ações coletivas e ante projeto de código de trabalho de Evaristo de Morais Filho". Participaram da banca os professores: Elina Pessanha (Orientadora-PPGSA-UFRJ), Regina Morel (Co-orientadora-PPGSA-UFRJ), Ivan Alemão (UFF), Sayonara Grillo (UFRJ) e Ângela de Castro Gomes (UFF). 


Ivan Alemão, Regina Morel, Marcos Aurelio, Elina Pessanha,
 Ângela de Castro Gomes,Sayonara Grillo 


sábado, 15 de dezembro de 2018

HOMENAGEM A LUIZ SALVADOR



HOMENAGEM A LUIZ SALVADOR
Nesta madrugada do dia 14 para o dia 15 de dezembro de 2018 faleceu meu amigo Luiz Salvador, após passar um longo período doente. Sua longa atuação em prol dos direitos trabalhistas foi das mais significativas. Para mim, Luiz foi aquele típico intelectual orgânico de que Gramsci falava. Não era um elaborar de textos, nem atuava na área acadêmica, mas foi intenso militante, aquele que organiza entidades e congressos, reúne as pessoas, articula grupos. Como advogado tinha seu escritório trabalhista em Curitiba.
Sua atuação foi bem marcante na primeira década deste século XXI. Quando surgiu a internet, Salvador soube aproveitar o máximo, divulgando novas decisões judiciais e artigos teóricos, principalmente sobre saúde do trabalhador. Aprendi muito com ele, inclusive como utilizar o computador. Foi ele que me ensinou a usar o “copia e cola” dos textos digitais. Ele sempre esteve à frente, aproveitando o máximo as novas tecnologias em prol da luta dos trabalhadores.
Foi presidente da ABRAT – Associação Brasileira dos Advogados Trabalhistas, quando organizou congressos, alguns internacionais. Organizou comissão de projeto de atualização de legislação trabalhista. Sempre viajou muito, inclusive com sua família, sua esposa Aedyl, as filhas Evelin e Janine, depois com o genro Daniel e o neto Lorenzo. Ele adorava Cabo Frio onde eu e Ana Martha os recebemos diversas vezes em nosso apartamento, sempre discutindo os rumos da Justiça do Trabalho e comentando suas viagens. Em 2004 ele escreveu a orelha do meu livro Curso do Direito do Trabalho, época que combatíamos o projeto de terceirização que quase foi aprovado em 2003, aquele mesmo que acabou sendo aprovado em 2017, que alterou a Lei 6.019 quando ele já estava doente.
Peço vênia ao amigo por não colocar aqui muitos outros feitos realizados por ele em prol do Direito do Trabalho, apenas aqueles que eu acompanhei de perto, que serviram para consolidar amizade e experiência de vida. Salvador provou que é possível ser extremamente intenso na profissão sem perde o amor pela família, combinando compromisso com lazer e afeto. Adeus amigo! Sua imagem ficará em nossos corações.


quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

terça-feira, 11 de dezembro de 2018